Weby shortcut
icon-facebook

Daniela Hilda de Souza Siqueira França

Atualizado em 03/07/17 11:36.

 

REFERÊNCIA: FRANÇA, Daniela Hilda de Souza Siqueira. A INTERDISCIPLINARIDADE E A CONTEXTUALIZAÇÃO EM UMA ABORDAGEM COMPLEXA: ANÁLISE DAS PROVAS DO ENEM COM BASE NOS GÊNEROS DO DISCURSO. 2016. 1-175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, 2016.

 

AUTOR: Daniela Hilda de Souza Siqueira França
TÍTULO: A INTERDISCIPLINARIDADE E A CONTEXTUALIZAÇÃO EM UMA ABORDAGEM COMPLEXA: ANÁLISE DAS PROVAS DO ENEM COM BASE NOS GÊNEROS DO DISCURSO
ORIENTADOR: Prof. Dr. Sílvio Ribeiro da Silva
ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Educação
LINHA DE PESQUISA: Cultura e Processos de Ensino e Aprendizagem
DATA DE DEFESA: 01/08/2016

 

RESUMO:
O objetivo desta pesquisa consiste em analisar, com base nos gêneros do discurso, se as provas do Enem – de 2009, quando o atual formato foi implantado, até 2015 –, privilegiam a complexificação do conhecimento, verificando se a contextualização e a interdisciplinaridade se fazem presentes e contribuem para minimizar a fragmentação dos saberes. Para isso, o corpus é constituído de todas as questões da área de Ciências Humanas e suas Tecnologias. Com esses objetos de análise, o intuito é verificar a contextualização e a interdisciplinaridade com base em quatro categorias criadas mediante a teoria dos gêneros do discurso do pensador russo Mikhail Bakhtin (2011). Essas categorias permitem uma geração de dados, por meio do procedimento de análise de conteúdo, que são examinados e interpretados qualitativamente. Alguns dados quantitativos obtidos pela observação dos gêneros presentes nos textos-base das questões é que impulsionaram parte da análise qualitativa. Além da pesquisa documental, que permite o trânsito por documentos como LDB no 9.394/1996, DCNEM (BRASIL, 1998; 2012), PCNEM (BRASIL, 2000), OCEM (BRASIL, 2006), ocorre uma pesquisa bibliográfica a fim de que se possa defender a concepção de Educação e conhecimento que permeia o estudo. Para tanto, as ideias do filósofo francês Edgar Morin (2002, 2004, 2005, 2007a, 2007b, 2012) sobre pensamento complexo, complexidade e conhecimento pertinente – as quais levam ao entendimento de que existe uma multidimensionalidade no ser humano e no conhecimento que deve se estender ao universo educacional e ser visível nele – são o aporte teórico. Os resultados da pesquisa revelam que as provas do Enem priorizam a contextualização, apropriando-se, em um processo de hibridização, principalmente, de gêneros ligados à própria área da questão, ainda que apareçam outros das mais variadas esferas da atividade humana. Revelam também uma rara e superficial interdisciplinaridade, sinalizando para uma possível dificuldade em ligar os saberes. Esses resultados apontam para o fato de que a fragmentação do conhecimento se faz presente no Enem, mas que se prioriza um conhecimento com mais sentido mediante a contextualização, uma vez que esta estimula a inteligência geral por relacionar as informações e inseri-las em seu contexto.

 

TEXTO COMPLETO icon-pdf
Listar Todas Voltar