Weby shortcut
icon-facebook

Maria Ferreira Bezerra

Atualizado em 03/07/17 15:12.

 

REFERÊNCIA: BEZERRA, Maria Ferreira. POLÍTICAS EDUCACIONAIS EM MATO GROSSO: A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DAS ESCOLAS ESTADUAIS DO CAMPO EM RONDONÓPOLIS NO PERÍODO DE 2011 A 2016. 2017. 1-143 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, 2017.

 

AUTOR: Maria Ferreira Bezerra
TÍTULO: POLÍTICAS EDUCACIONAIS EM MATO GROSSO: A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DAS ESCOLAS ESTADUAIS DO CAMPO EM RONDONÓPOLIS NO PERÍODO DE 2011 A 2016
ORIENTADOR: Profa. Dra. Luciene Lima de Assis Pires
CURSO: Mestrado em Educação
ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Educação
LINHA DE PESQUISA: Políticas Educacionais, Gestão e Formação de Professores.
DATA DE DEFESA: 26/06/2017

 

RESUMO:

A presente pesquisa retrata a Política de Formação Continuada dos Profissionais da Educação Básica do estado de Mato Grosso. Analisa, no Centro de Formação de Professores (Cefapro) de Rondonópolis, a formação dos profissionais do ensino das escolas do campo, de modo singular as da rede estadual situadas nesse polo de formação e as implicações dessa política para o desenvolvimento da educação do campo. Com o propósito de compreender como o Projeto Sala de Educador se realiza na escola, buscou-se conhecer a formação que acontece por meio deste projeto e a contribuição do Cefapro para que esta formação se efetive. Para tanto, adotou-se a análise de conteúdo como ponto de partida da investigação. Este viés investigativo permitiu uma compreensão do objeto que superou a visão fragmentada dos significados imediatos. Exigiu que o investigador fizesse com rigor e criticidade a leitura dos documentos e possibilitou uma compreensão do objeto no seu contexto real com suas múltiplas determinações. Procurou-se olhar a realidade na sua totalidade nas diversas relações que a constitui e seguir pelo caminho da dialética. Por este percurso, fez-se a análise e interpretação dos documentos partindo da realidade simples e abstrata para uma mais complexa para chegar à essência do objeto. Nessa perspectiva teórica Marxiana, a investigação e apresentação crítica do real se apresentou como momentos distintos, porém são dialógicos e constituíram um mesmo processo em que a investigação e a análise do objeto foram realizadas. Adotou-se o período de 2011 a 2016 e centrou-se a investigação nos documentos da formação continuada produzidos pela Superintendência de Formação de Professores (Sufp)/Seduc, pelo Cefapro e pelas escolas. Observou-se, que as escolas do campo não são inseridas na política de formação continuada do Estado como um espaço sociocultural diverso e específico; que, a educação do campo é mencionada apenas nos pareceres que orientam sobre o Projeto Sala de Educador, ocupando um espaço secundário. Observou-se ainda que no trabalho específico que o Cefapro realiza na formação dos educadores do campo, leva-se em conta esses fatores e a realidade das escolas. Contudo, nas ações que têm como pressupostos atender às finalidades da política de formação, fica refém dos instrumentos de orientação da Sufp. Assim, o trabalho com as escolas do campo se prende aos aspectos da instrumentalização do ensino e à concepção de educação que sustenta tal política. Verificou-se que a maioria das escolas investigadas incluem temas da educação do campo no Projeto Sala de Educador. Entretanto, as análises apontam para a percepção de que a formação está voltada para as concepções das políticas do Estado, com foco nas competências e relevância nas aprendizagens que atendem aos indicadores educacionais. Por fim, esta pesquisa aponta que o Estado de Mato Grosso precisa rever sua forma de instituir políticas e indica a necessidade de uma formação específica aos educadores do campo no sentido de uma aproximação entre Conselho e sociedade com o objetivo de buscar melhorias no sistema municipal de ensino.

 

TEXTO COMPLETO icon-pdf
Listar Todas Voltar