icon-facebook

MÁRCIA LEÃO DA SILVA PACHECO

  
MÁRCIA LEÃO PACHECO
TÍTULO: O NÃO-LUGAR DA TECNOLOGIA NA AULA: INVESTIGAÇÃO SOBRE A INTEGRAÇÃO DAS TIC ÀS UNIDADES ESCOLARES DA CRE/JATAÍ.
ORIENTADOR(A): ROSEMARA PERPETUA LOPES
DATA DA DEFESA: 21/05/2019

RESUMO: Nesta pesquisa, inscrita na Linha “Cultura e Processos de Ensino e Aprendizagem”, buscamos entender como ocorre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) em unidades escolares estaduais goianas da Coordenadoria Regional de Educação de Jataí (CRE Jataí) e como as TIC se relacionam com a formação de professores. Especificamente, procuramos: identificar as TIC existentes nas unidades escolares, para uso do professor e dos alunos na aula, verificando se os professores as conhecem e as utilizam; investigar se, para o professor, as TIC contribuem para o ensino e a aprendizagem escolar, diagnosticando aspectos ou fatores que dificultam a sua integração ao ambiente escolar; averiguar se os professores tiveram formação sobre as TIC e em que consistiu; caracterizar a resistência ao uso das TIC no ambiente escolar, caso exista. A relevância deste estudo está em contribuir para (re)pensar a integração das TIC à prática pedagógica. Esta pesquisa de cunho qualitativo teve como instrumentos de coleta de dados questionário e entrevista semiestruturada, aplicados em 21escolas, para 465 professores regentes. A metodologia abrangeu consulta às Atas do Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE) e aos Relatórios de Bens Móveis das escolas para identificação da infraestrutura tecnológica e verificação dos cursos ofertados aos professores nos últimos vinte anos sobre o uso das TIC em sala de aula. Fundamentada no método de análise de conteúdo de Bardin (2011), a análise é desenvolvida nas unidades: “infraestrutura”, “prática pedagógica”, “formação de professores” e “caracterização da resistência”. Assim, constatamos que a escola tem algumas tecnologias; entretanto, essas não existem em quantidade suficiente e/ou não se encontram em condições satisfatórias de uso. Em relação à prática pedagógica, os resultados sugerem a subutilização das TIC pelos professores. Averiguamos que a formação de professores para o uso das TIC foi ofertada pelo NTE Jataí, por meio de cursos e oficinas. Os conteúdos giraram em torno de uma iniciação e/ou uma apresentação das funções básicas do computador e de acesso à Internet. Esse resultado vai ao encontro de uma formação voltada para a “alfabetização digital”, porém, nem todos os professores participaram. Além do aspecto quantidade de vagas, devemos considerar a opção do professor em não participar de cursos de formação. Os resultados desta pesquisa revelam indício de resistência ao uso das TIC nas escolas pesquisadas por múltiplos fatores, com destaque para a falta de infraestrutura. Em relação à caracterização da resistência, encontramos traços nos ambientes escolares que apontam: ressalvas quanto ao uso das TIC; “pessimismo”; sentimento de insegurança diante da mudança; que não acreditam em algo que não fez parte de sua formação. Portanto, os resultados desta nos permitem dizer que encontramos dois lugares para as tecnologias. Um deles chama-se “depósito”, onde ficam os objetos que estão “sucateados” e/ou os que não são utilizados. O outro é o “armário”, que fica trancado à chave, no qual verificamos a presença de tecnologias, no caso, de equipamentos, dentro de suas caixas originais, lacradas, para não estragar. Por conseguinte, entendemos que o que não existe e/ou não pode ser usado não tem lugar na aula.

 

 

DISSERTAÇÃO Pdf ícone