icon-facebook

Apresentação e Histórico

O Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação foi aprovado pela CAPES em 2012, e está sediado na Regional Jataí da Universidade Federal de Goiás (UFG). Esta Regional, considerando o seu desenvolvimento, foi desmembrada da UFG, vindo a constituir-se Universidade Federal de Jataí (UFJ), na categoria de super nova. O PPGE, no entanto, continua na UFG durante o quadriênio de 2017 a 2020. Após esse processo de avaliação quadrienal, passará o PPGE para a UFJ, consolidando-se como um Programa forte, único em educação na UFJ e um dos maiores.


Em 2018, pela Lei nº 13.635 de 20 de março de 2018, foi criada em Goiás a Universidade Federal de Jataí (UFJ), a partir do desmembramento da Universidade Federal de Goiás (UFG). Com a criação da UFJ (em fase de estruturação sob a tutoria institucional da UFG) o PPGE passa a ser um dos seis programas de Pós-Graduação stricto sensu acadêmicos em nível de mestrado desta nova universidade (Agronomia - Produção Vegetal; Biociência Animal; Ciências Aplicadas à Saúde; Educação; Geografia e Química), o único na área da educação.


O PPGE iniciou suas atividades em 2013, a partir da publicação do primeiro edital de seleção. Foram coordenadores nesse período: Ari Raimann; Michele Silva Sacardo; Cátia Regina Assis Almeida Leal e, atualmente, Elizabeth Gottschalg Raimann. Nesse período, a procura tem sido considerada muito boa, sendo que em 2020 selecionou sua nona turma. A oferta de vagas foi duplicada em relação à primeira turma. Da mesma forma, o número de docentes duplicou. O PPGE encerrou o ano de 2020 com um corpo docente maduro, fortalecendo-se a cada ano no que se refere à produção intelectual e atuação na Pós-graduação, na sua relação com a Graduação e Educação Básica.


No final do quadriênio, o PPGE contou com 21 docentes, sendo 18 permanentes, dois colaboradores e um visitante (este até março). Muito forte também tem sido a procura por docentes da Educação Básica na região, o que tem sido um fator muito positivo de valorização do PPGE. O Programa tem clareza de sua importância na região, uma vez que atende boa parte da região Centro-Oeste. Há candidatos de Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais. Nessa região há uma demanda grande por formação continuada stricto sensu, seja na rede pública ou privada. Destaca-se também a presença de IES públicas que de algum modo incentivam a formação em mestrado acadêmico, uma vez que candidatos ou já atuam como docentes efetivos ou contratados, ou vislumbram uma oportunidade futura de concurso público. Mesmo candidatos atuando na rede privada ou em instituições filantrópicas procuram o Programa em busca de qualificação. Após sua aprovação / implantação, o PPGE trabalhou pela sua consolidação como importante espaço na formação docente, produção e disseminação do conhecimento na área no interior de Goiás e Centro-Oeste brasileiro. No processo de consolidação percebeu-se a necessidade de redimensionamento na estrutura interna do Programa no que se refere às linhas de pesquisa e alocação dos professores. Neste sentido, após o final do quadriênio 2013-2016, primeiro período de avaliação do PPGE, foram criadas duas novas linhas de pesquisa: “Formação Humana e Fundamentos da Educação” e “Educação e Linguagem”, isto em julho de 2017. Com a adequação das linhas de pesquisa, os docentes que até então se agrupavam nas duas linhas “Cultura e Processos de Ensino e Aprendizagem” e “Políticas Educacionais, Gestão e Formação de Professores”, foram realocados em função de suas áreas de atuação e pesquisa nas linhas estabelecidas a partir de então: Linha 1 - Cultura e Processos de Ensino e Aprendizagem; Linha 2 - Políticas Educacionais, Gestão e Formação de Professores; Linha 3 - Formação Humana e Fundamentos da Educação; Linha 4 - Educação e Linguagem. Considera-se que a adequação conferiu ao Programa maior coerência e qualidade. Nesse movimento de adequação.


Neste quadriênio (2017-2020) o PPGE reuniu todos os esforços para relatar com mais clareza e sentido as características que permitiram sua consolidação, desejando que, com o trabalho realizado neste quadriênio, obtenha nota 4, o que lhe dará condição de encaminhar uma APCN de Doutorado em Educação. Importante destacar que o contexto atual se mostra muito mais desafiador, revelando um campo muito promissor para um doutorado em Educação, em função da estruturação da nova Universidade e o quantitativo de alunos egressos do PPGE que esperam continuar seus estudos a nível de doutorado. Os novos caminhos da instituição estão colocados. O seu desenvolvimento aponta para desafios que o Programa deseja e pode enfrentar.


O PPGE realiza dois processos seletivos por ano, sendo um regular e outro para Servidores Técnicos Administrativos. Em 2020 foram preenchidas 23 vagas regulares, e 1 vaga para servidores da UFG - Programa Qualificar (Programa de Incentivo à qualificação de Servidores Técnicos Administrativos em Educação da UFG).


O número de bolsas CAPES/DS assegura maior condição para alunos que necessitam de apoio financeiro para realizarem sua qualificação. As bolsas conferem maior qualidade ao Programa e melhor condição aos alunos para a sua formação, uma vez que garantem a sua permanência e comprometimento com o Programa e além das bolsas de Demanda Social da CAPES o PPGE conta também com bolsas Fapeg/ano. Em 2020 o Programa contou com sete bolsas, sendo uma bolsa FAPEG e seis bolsas CAPES.


As bolsas são renovadas semestralmente, segundo critérios de desempenho estabelecidos pelo Programa em norma interna (ANEXO G- Norma Interna nº 3/2017 PPGE/UFG/REJ), após parecer da Comissão de Bolsas e Acompanhamento Discente, comprovados pelo bolsista mediante apresentação de relatório detalhado. Esse relatório apresenta informações sobre o atendimento aos critérios de desempenho estabelecidos pelo programa em norma interna. No ano de 2010, todos os alunos bolsistas apresentaram o relatório na data especificada para tal fim, sendo todos os relatórios aprovados pela Comissão de Bolsa e Acompanhamento Discente e pela coordenadoria do PPGE.


No processo de estabilização do PPGE consolidaram-se também os grupos de pesquisa. Em 2020, dentre os grupos de pesquisa com participação docente e discente, além de egressos e comunidade externa, destacamos:

  • Grupo de Estudos e Pesquisa Tecnologias Digitais e Formação de Professores (GTDiF);
  • Grupo de Estudos sobre Materiais Didáticos, Ensino e Avaliação – GEMDAV;
  • Núcleo de Estudos Sociedade, Educação e Cultura (NESEC), estrutura-se em três linhas de pesquisa: 1) Corpo, Saúde e Educação; 2) Política Educacional, Formação e Profissionalização Docente; 3) Sociedade, Cultura e Processos Educacionais;
  • Grupo de Pesquisas e Estudos GERMINAL (Sociedade, Cultura e Formação Humana), se estrutura em duas linhas de pesquisa: 1) PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO: análises e perspectivas; 2) FORMAÇÃO HUMANA e PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA;
  • Grupo de Estudos NuFOPE – Formação de Professores e Práticas Educativas;
  • Grupo de estudos e Pesquisa Sociedade brasileira: educação, temas sociais e cinema;
  • Rede Goiana de Pesquisa em Educação Inclusiva;
  • Núcleo de Estudos, Pesquisas e Formação em Educação Sexual (NuEPFES);
  • Grupo de Pesquisas Linguísticas e Literárias Aplicadas ao Ensino;
  • Grupo de Pesquisa Trabalho em Educação Infantil (GTEI).

 

Com vistas à consolidação do programa, ao longo do quadriênio foram articuladas estratégias para acompanhar de forma mais acurada o desenvolvimento das atividades de ensino, orientação e produção acadêmica dos mestrandos e dos docentes - permanentes e colaboradores - do PPGE.


Dentre essas estratégias, está a consolidação da Comissão de acompanhamento docente que iniciou os trabalhos no início do quadriênio. A Comissão no quadriênio realizou atividades em função de duas Normativas Internas: n.º 02/2017, que define normas para o credenciamento, recredenciamento e descredenciamento de docentes PPGE/REJ/UFG; e n.º 06/2017 que define normas para o número de orientandos por docente e a abertura de vagas por docente em processos seletivos do PPGE/REJ/UFG. No período, a Comissão atuou com afinco, analisando diversos aspectos do desenvolvimento do Programa, tendo em vista sua autoavaliação e os novos critérios de avaliação CAPES. A comissão de acompanhamento docente avalia que o grupo de docentes junto do qual essa proposta foi sendo amadurecida mantém uma significativa e constante interação, tanto entre si, como outros docentes da UFG e de outras instituições de Ensino Superior no Brasil e no exterior.


A interação entre os docentes se dá no contexto dos diversos projetos de pesquisa e extensão, conduzidos na UFG e coordenados por esses docentes, como também por projetos de pesquisas desenvolvidos com parceiros externos à UFG. A produção bibliográfica do grupo tem sido regular e estável ao longo dos últimos anos, tendo sido divulgada em periódicos melhor qualisados, quando possível, bem como em importantes eventos regionais, nacionais e internacionais, reconhecidos pela comunidade de educadores e pesquisadores em Educação. Está sendo repensada a produção de livros como resultados de coletâneas, dando prioridade a artigos em periódicos com Qualis mais elevados. Os projetos de pesquisa e, consequentemente, a produção bibliográfica do grupo, tem se pautado em diversas bases teórico-metodológicas e se dedicado às grandes temáticas de interesse da Educação. De modo geral, essas pesquisas têm contemplado as políticas educacionais e seus padrões de interação com as condições educacionais, a formação de professores, as práticas educativas, além das interfaces entre os saberes escolares, a história e os processos de ensino e aprendizagem nas mais diversas áreas do conhecimento, em especial nas áreas básicas das licenciaturas.


Um importante espaço institucional em que o grupo tem atuado e demonstrado seu compromisso com a produção de conhecimento no campo da educação e a qualificação profissional, é o da pós-graduação Lato Sensu. As especializações na área da Educação têm sido oferecidas na UFG Jataí (agora Universidade Federal de Jataí, em estruturação), na medida em que demandas regionais específicas são identificadas em função das ligações dos docentes com a Educação Básica pública municipal e estadual.


O relato a seguir dá uma ideia de três especializações oferecidas nos últimos anos, sendo que as duas últimas se encontram com as atividades em andamento.

  1. Especialização em Educação Infantil. Foram oferecidas três turmas (1999, 2006 e 2008) e seu objetivo principal foi promover a melhoria de qualificação do professor da Educação Infantil, verticalizando conhecimentos básicos na área, enfocando as discussões sobre as práticas pedagógicas, as bases teórico-conceituais, bem como sobre as pesquisas na Educação Infantil. Buscou construir condições para que seus egressos aprofundassem seus estudos para trabalhar em Educação Infantil em uma perspectiva crítica, estabelecendo articulações entre o ensino e pesquisa no trabalho docente, criando as possibilidades de novos debates científicos nesse campo, contribuindo com a ação política educacional da região do sudoeste goiano, região que manifesta carência por cursos de especialização para os profissionais da educação.
  2. Especialização em Políticas, Gestão e Financiamento da Educação. Partindo da realidade concreta vivida no ambiente escolar contemporâneo, o objetivo central deste curso de especialização é oferecer subsídios teórico-metodológicos a professores, coordenadores e diretores de diversas instituições de Ensino, capacitando-os para uma avaliação crítica dos sistemas de ensino, da atual política de gestão e de financiamento da educação com vistas a proposições e intervenções neste ambiente, contribuindo para o desenvolvimento de projetos de gestão democrática nas diversas instâncias do sistema educacional, bem como o efetivo controle dos recursos destinados à educação. Essa proposta do curso reflete o desejo de ampliação do foco de pesquisa e atuação de docentes do Curso de Pedagogia e demais cursos ligados à área da Educação com a expectativa de atender às atuais demandas das Secretarias Estaduais e Municipais de Educação na busca pelo aprimoramento da gestão democrática do ensino público, conforme disposto na Constituição Federal de 1988.
  3. Especialização em Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Materna e Estrangeira (inglês)

 

Com atividades desde 2004, essa especialização tem por objetivo oferecer à comunidade embasamento teórico advindo da área de Linguística Aplicada capaz de possibilitar aos egressos uma maior familiarização com as novas tendências pedagógicas e o desenvolvimento de uma postura crítica em relação aos enfoques teóricos e à sua aplicação em sala de aula. Visa ainda especializar professores do Ensino Fundamental e Médio, licenciados em Letras e áreas afins, para o aperfeiçoamento no ensino de língua materna e estrangeira (inglês) e também possibilitar a iniciação à pesquisa. Essa especialização propicia aos participantes não só um espaço para problematização e elaboração de novos conhecimentos, como também campos de análise para sua prática docente e investigações científicas. As disciplinas propostas buscam incentivar a produção e, principalmente, a socialização do trabalho com o ensino, fundamentado em teorias linguísticas e na Linguística Aplicada, proporcionando reflexões e debates acerca de práticas cotidianas de sala de aula.


O grupo também tem se destacado pela manutenção de dois periódicos qualificados: O Itinerarius Reflectionis (ISSN 1807-9342) e a Revista Virtual de Letras – RevLet (ISSN: 2176-9125). O periódico Itinerarius Reflectionis tem sido um dos veículos de divulgação da produção científica desenvolvida pelo grupo e reflete parte da produção integrada do mesmo. Criada no ano de 2005 pelo Curso de Pedagogia da Regional Jataí da Universidade Federal de Goiás, a Itinerarius Reflectionis, desde então publicada semestralmente, mantém regularidade e atualidade editorial. Está classificada como QUALIS/CAPES B2 em Educação (2013-2016) e indexada pelas seguintes bases de dados: O Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER); Sumários.org (Sistema de revistas brasileiras); Latindex (Sistema de Informação para Revistas Científicas da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal). A Itinerarius Reflectionis possui o DOI (Digital Object Identifier); método desenvolvido pela Associação de Publicadores Americanos (APA) para prover a base administrativa de conteúdo digital. Esta revista dirige-se a toda comunidade científica, publica resultados de teses, dissertações, monografias e artigos de natureza teórico-metodológica, procurando manter um elevado nível de exigência e qualidade. Publica artigos em Português, Espanhol e Inglês. O objetivo principal desse periódico é a divulgação on-line da produção acadêmica, tornando cada vez mais acessível à sociedade o trabalho do corpo docente da Regional Jataí/UFG e de outros pesquisadores da área que queiram contribuir para a produção científica no campo da educação.

 
Em 2009, o grupo criou a Revista Virtual de Letras (RevLet), periódico eletrônico vinculado ao curso de Letras da Universidade Federal de Goiás/Regional Jataí. Atualmente, conta com avaliação QUALIS/CAPES B2 em Linguística e Literatura (2013-2016). Trata-se de uma publicação semestral, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior que estejam interessados em questões relativas ao campo textual-discursivo e literário, vinculadas tanto a questões teóricas da área, quanto a questões de ensino e aprendizagem de língua e literatura. A RevLet está indexada ao Latindex (Sistema de Informação para Revistas Científicas da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal) e ao Sumários.org (Sistema de revistas brasileiras).

Além das ações acima, não menos importante é a visibilidade que o PPGE tem.
Além da página oficial do PPGE (https://mestradoeducacao.jatai.ufg.br/), com ferramentas de acessibilidade para baixa visão e leitura em libras, está disponível nos idiomas: espanhol, francês e inglês.


Em 2019 o PPGE optou também por maior divulgação das atividades nas redes sociais, criando:

 

Em 2019 consideramos uma importante iniciativa para dar visibilidade ao PPGE – e às pesquisa desenvolvidas – a criação de Podcast que vai ao ar mensamente sendo que a cada mês é divulgada a pesquisa de um egresso do PPGE. Com a “chamada” Está no ar o mais novo produto acadêmico do Programa de Pós-graduação em Educação da Regional Jataí, Universidade Federal de Goiás (PPGE/REJ/UFG), o PPGECast é uma iniciativa do PPGE que alia a contemporaneidade de novos canais de comunicação à necessidade de dar maior visibilidade às pesquisas produzidas pelo Programa. O Podcast é uma forma de publicação por radiodifusão e seu nome origina-se das palavras iPod (Personal On Demand) e Broadcasting (radiodifusão), radiodifusão à mão ou sob demanda. Trata-se de um conjunto de ficheiros ou arquivos publicados por podcasting, conhecido como podcast. É uma forma de comunicação que permite ao ouvinte acessar determinados conteúdos em qualquer tempo e lugar. O acesso demanda conexão com a internet (ou baixar o programa para ouvir enquanto estiver off-line por algum aplicativo ou na web). Os conteúdos e Podcasts do PPGE podem ser acessados de diversas formas. Pela página Web do PPGE: https://mestradoeducacao.jatai.ufg.br/; pelo Facebook do PPGE: /ppge.mestrado.5; e, pelo Instagram do PPGE: @ppge.jatai. Estão disponíveis nas plataformas CastBox e Spotify.


Em 2020, foi inaugurado o Canal no Youtube do PPGE, com 763 inscritos, oportunizando a divulgação do conhecimento científico, com convidados nacionais e internacionais, mediante eventos promovidos pelo Ciclo de Palestras, Seminário de Dissertações, Defesa Pública de dissertação, dentre outros. Disponível em: https://www.youtube.com/channel/UCpimgGnvf05IVGLXc7r-k2g