icon-facebook

CASSIAMARA FARINA

  

CASSIAMARA FARINA

TÍTULO:A PERCEPÇÃO DOCENTE SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DO PLÁGIO PARA OS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA UNIVERSIDADE”.
ORIENTADOR(A): Profª. Drª. Renata Machado de Assis
DATA DA DEFESA: 28/08/2020

RESUMO: Esta pesquisa busca compreender a percepção dos docentes do curso de Direito de duas Instituições de Ensino Superior (IES) acerca da incidência de plágio em trabalhos acadêmicos, bem como suas opiniões sobre as consequências desta atitude para o processo de ensino e aprendizagem e futura atuação profissional. Investigou-se quais são os procedimentos adotados pelos professores ao se deparar com casos de cópia. O referencial teórico utilizado apontou crescimento desta prática, tanto dentro quanto fora da academia, no Brasil e no exterior. Apesar da relevância do assunto, a perspectiva aqui abordada é ainda pouco estudada no âmbito acadêmico, o que indica a necessidade de maior averiguação. O objetivo geral foi investigar a percepção dos professores sobre as consequências do plágio para a aprendizagem na graduação. Os objetivos específicos foram: verificar as percepções dos professores sobre as consequências do plágio para o processo de ensino e aprendizagem; questionar se os docentes buscam detectar plágio e como fazem isso; investigar se são desenvolvidas ações de orientação, coercitivas ou punitivas, ao detectar incidência de plágio; compreender se os docentes percebem o plágio como atitude negativa e que poderá prejudicar a atuação profissional do estudante no futuro; e comparar as percepções dos professores de uma instituição pública e gratuita com as percepções de professores de uma instituição privada. Foi realizada pesquisa descritiva, por meio de investigação bibliográfica e de campo, que contou com aplicação de questionários. Foram utilizados os seguintes autores: Almeida et al. (2016), Franco (2012a, 2015, 2016), Krokoscz (2011 e 2014), Lévy (2004, 2010), Libâneo (1999, 2012), Masetto (2000 e 2012), Moran (2000), Tardif (2008, 2013), Wachowicz e Costa (2016) e outros. As IES selecionadas foram a Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí (UFG-REJ) e o Centro de Ensino Superior de Jataí (Cesut), ambas localizadas no centro-oeste goiano. Responderam à pesquisa 35 docentes que ministram aulas no curso de direito das instituições citadas. O tratamento e análise dos dados foi de cunho qualitativo e por meio da análise de conteúdo. Emergiram do discurso dos participantes três categorias: atuação do professor em relação ao plágio; consequências do plágio para a aprendizagem do estudante; e tipos, ocorrências e motivos para o plágio. Ao longo da pesquisa foi possível constatar que a maioria dos professores se deparou com textos de alunos que continham plágio, percebendo tal ato como prejudicial para a aprendizagem, interferindo tanto na produção intelectual do estudante quanto em sua futura atuação profissional. Verificou-se que são desenvolvidas ações para prevenir, coibir e/ou punir a prática. Identificou-se, também, que para a maior parte dos docentes pesquisados o plágio é muito mais um problema ético do que fruto de desinformação dos alunos. Este entendimento está em discordância com o referencial teórico, que apresenta o contexto social como forte motivador do plágio. Concluiu-se que os docentes associam o uso da internet e os hábitos escolares do ensino fundamental e do ensino médio como fatores de estímulo ao plágio, assim como acreditam que o plágio deve ser combatido. O entendimento de tais percepções poderá ser utilizado para análises presentes e futuras sobre os impactos do plágio na vida acadêmica e posterior dos estudantes.


Palavras-chave: Plágio. Ensino e aprendizagem. Ensino superior. Trabalho Docente.

 

DISSERTAÇÃO Pdf ícone