icon-facebook

LUCIANA MARIA BORGES

  

LUCIANA MARIA BORGES

TÍTULO: “INTRODUÇÃO AO BLENDED LEARNING: CONCEITO E PRODUÇÃO CIENTÍFICA NO BRASIL”.
ORIENTADOR(A): Profª. Drª. Rosemara Perpetua Lopes
DATA DA DEFESA: 28/08/2020

RESUMO: A presente pesquisa busca responder ao seguinte problema: Como é tratado o blended learning nas produções científicas brasileiras? O objetivo geral consiste em investigar o blended learning na educação brasileira, na perspectiva da legislação, literatura e produção científica pertinentes em determinado período. Definiu-se como objetivos específicos: caracterizar o blended learning, quanto a sua origem e seus atributos definidores; identificar se e como o blended learning comparece na legislação educacional brasileira, relativamente ao Ensino Superior e à Educação Básica e analisar tendências nas pesquisas nacionais produzidas nos últimos cinco anos sobre blended learning. A pesquisa é documental, do tipo bibliográfica. Para o desenvolvimento, foram realizadas revisão de literatura com aporte teórico voltado para conceituar o blended learning como mescla entre sala de aula e ambientes virtuais; gama de possibilidades apresentadas pela combinação de internet e mídia digital com sala de aulas com a co-presença física de professor e alunos; análise da legislação relacionada às tecnologias na educação, como Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Plano Nacional de Educação, Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, Base Nacional Comum Curricular, Plano Estadual De Educação do Estado de Goiás, de documentos que regulamentam a oferta de disciplinas a distância nas instituições de Ensino Superior, legislação educacional no contexto de pandemia de Covid-19 e um levantamento composto por produções científicas que abordam o blended learning no Brasil, selecionadas após buscas realizadas na internet em catálogos e bibliotecas online. Os resultados finais revelam que não há um consenso sobre a definição de blended learning, pois é um termo polissêmico. A literatura abordada sugere conceituar blended learning como integração entre as modalidades presencial e à distância, com o uso de tecnologias e metodologias diversificadas, voltadas a potencializar a aprendizagem. A legislação educacional brasileira regulamenta a oferta de disciplina na modalidade a distância em cursos superiores desde 2001 e na educação básica, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação já mencionava essa oferta em situações emergenciais, porém o uso das tecnologias na educação teve mais evidência no Plano Nacional de Educação e na Base Nacional Comum Curricular. O termo blended learning não é explicitado nos documentos pesquisados, porém há indícios que apontam para essa modalidade de ensino. Nas tendências encontradas nas pesquisas analisadas, evidenciam-se os seguintes fatores referentes ao blended learning, potencial pedagógico; percepções dos docentes; formação de professores para o uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação; percepções do aluno e legislação (Portaria nº 4.059/2004). Em atenção ao problema de pesquisa, os resultados apontam para o blended learning como modalidade de ensino que integra as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação às atividades presenciais, mesclando Educação a Distância com a modalidade presencial. A legislação educacional brasileira indica que há um “movimento” do Ensino Superior para a Educação Básica, no sentido de regulamentar o blended learning. Dentre as pesquisas elencadas, as tendências revelam que, no Brasil, o blended learning tem sido estudado quanto ao seu potencial pedagógico, percepções de alunos e professores e a formação de docentes para o uso pedagógico das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação.


Palavras-chave: Blended learning. Ensino híbrido. Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação. Ensino Superior. Educação Básica

 

DISSERTAÇÃO Pdf ícone