icon-facebook

ELTA MOREIRA DA SILVA

AUTOR: ELTA MOREIRA DA SILVA

TÍTULO: A ESCOLARIZAÇÃO DOS GÊNEROS ORAIS SECUNDÁRIOS EM COLEÇÕES DIDÁTICAS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO MÉDIO

ORIENTADOR: Prof. Dr. Silvio Ribeiro da Silva

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Educação

LINHA DE PESQUISA: Educação e Linguagem

DATA DE DEFESA: 11/06/2018

 

RESUMO:

Esta pesquisa, na área de Educação, linha de pesquisa,Educação e Linguagem, tem como objetivo analisar a escolarização dos gêneros orais secundários (GOS) em coleções didáticas de Língua Portuguesa do Ensino Médio. Parte da ideia de que, sendo a oralidade um tema amplo, com várias dimensões a ensinar, é preciso ter bem delimitado seu objeto de ensino, principalmente porque muitas pesquisas científicas demonstraram que ainda há confusão, por parte dos professores, sobre qual oral ensinar. No ensino Médio, o ensino dos gêneros orais secundários cumpre a função de munir os alunos do conhecimento do oral formal exigido em esferas públicas, cujas atividades de linguagem são mais complexas e elaboradas do ponto de vista cultural. Assim, essas esferas impõem restrições quanto ao uso do oral, as quais são aprendidas por meio do ensino escolar. Nesse processo, o Livro Didático de Português (LDP) é uma ferramenta essencial, principalmente nas escolas públicas, onde é o principal, senão o único, meio de acesso às propostas de ensino dos eixos oralidade, escrita, leitura e análise linguística. Entretanto, muitas formas de comunicação, oral ou escrita, não foram concebidas para serem ensinadas. Dentre essas, cito os gêneros orais secundários, os quais, ao serem transportados de sua esfera original para a escolar, sofrem modificações, determinadas pela transposição didática e pela escolarização, para se tornarem objetos de ensino, o que, necessariamente, retira-lhes partes substanciais. Embasada por esses pressupostos, o objetivo principal desta Dissertação de mestrado, doravante (DM), é investigar a abordagem dada aos gêneros orais secundários em coleções didáticas, interpretando os dados referentes à recorrência, às capacidades que mobilizam, visando ao ensino daquilo que é mais complexo, às principais modificações impostas pela escolarização e às propostas de produção de gêneros orais secundários apresentadas para o ensino. Os corpora da pesquisa são três coleções didáticas aprovadas pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD/2015-2017): Português Vozes do Mundo – Literatura, Língua e de textos, dos autores Líllia Santos Abreu Tardelli, Lucas Sanches Oda, Maria Tereza Arruda Campos e Salete Toledo, Editora Saraiva, Viva Português, das autoras Elizabeth Campos, Paula Marques Carvalho e Sílvia Letícia de Andrade, Editora Ática e Português Linguagens em Conexão, das autoras Graça Sette, Márcia Travalha e Rozário Starling, Editora Saraiva. Esta pesquisa assume o cunho quanti-qualitativo-interpretativista, sustentada em fontes documentais e fundamentada teoricamente por Bakhtin ([1952-53]1979] 2011; Dolz e Schneuwly (2010); Soares (2003), dentre outros teóricos que tratam do tema. Os resultados revelam que as três coleções escolarizaram os GOS, propondo o ensino de capacidades essenciais ao falante desses gêneros. Entretanto, o ensino de gêneros escritos é predominante em duas delas. Os dados mostram, ainda, que duas coleções, visando ao aprofundamento das capacidades, abordaramnas em forma espiralada. Mas uma capacidade importante para ampliar o domínio do oral formal, ‘Conhecimento linguístico sobre o GOS’, foi proposta como objeto de estudo poucas vezes e sem muita profundidade. Apesar disso, os resultados apontam, de maneira geral, avanço nas propostas de ensino da oralidade. A escolarização das atividades é suficiente para que o professor do EM promova o ensino adequado dos GOS, contribuindo para que o aluno adquira as capacidades essenciais ao falante desses gêneros.

  Pdf ícone

TEXTO COMPLETO