icon-facebook

ROMULO RENATO CRUZ SANTANA

  
ROMULO RENATO CRUZ SANTANA
TÍTULO: A EDUCAÇÃO INCLUSIVA NA FORMAÇÃO DO DOCENTE NO ENSINO SUPERIOR
ORIENTADOR(A): VANDERLEI BALBINO DA COSTA
DATA DA DEFESA: 30/08/2019

RESUMO:A cientificidade da educação inclusiva se consolidou após o ano de 1994, com a Declaração de Salamanca, a qual se deu por meio de uma análise da evolução dos documentos oficiais e legislações internacionais, que surgiram desde a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948. Para se chegar a essa percepção, é importante associar o tema geral dessa pesquisa a diversas abordagens teóricas e práticas, conforme as exigências previstas em leis e normas específicas que surgem e evoluem de acordo com os avanços nos estudos relacionados à inclusão. Desenvolver uma investigação nessa área do conhecimento, implica na sensibilidade de reconhecer a importância dela para a presente e as futuras gerações, o que reforça a necessidade de rigor e métodos nessa produção. Assim, destaca-se que o tema proposto abordará “A educação inclusiva na formação do docente no Ensino Superior”, tendo em vista a relação íntima com as análises e discussões já realizadas no âmbito do programa de Mestrado em Educação, pela Universidade Federal de Goiás – UFG – Regional Jataí. O objetivo geral é compreender a formação docente no contexto da inclusão e o que as políticas públicas, de acordo com a legislação e os documentos internacionais vigentes, vêm possibilitando com relação à demanda de expansão da educação superior no Brasil, no que concerne às pessoas com deficiência. Dessa forma, decidiu-se desenvolver a pesquisa conforme os seguintes objetivos específicos: Investigar de que forma a educação inclusiva vem sendo abordada ao longo dos anos na formação docente, tomando como base a evolução histórica dos estudos em inclusão; discutir à luz da legislação, como a inclusão se efetivou no âmbito internacional e nacional, e, consequentemente, o reflexo no processo de capacitação do professor que atua no Ensino Superior; refletir se a Pós-Graduação (lato e stricto sensu) para o Ensino Superior vem dando conta de formar professores para atuar em prol da educação inclusiva. Optou-se por uma pesquisa de abordagem qualitativa, do tipo bibliográfica e documental, por meio do referencial teórico de Freire e Saviani, principalmente, pela revisão de documentos oficiais, tais como: leis, decretos, resoluções, declarações, diretrizes e políticas nacionais. As análises evidenciam um déficit na formação continuada de professores para atuar no Ensino Superior, na perspectiva inclusiva, levando em consideração que a oferta de cursos no Brasil denota a necessidade de fortalecimento dos programas de Pós-Graduação (lato e stricto sensu) para atender a demanda, com relação ao docente frente à pessoa com deficiência. Diante desse fator, têm-se a possibilidade de aliar esses programas aos núcleos de acessibilidade das Instituições de Ensino Superior, como o da UFG – Regional Jataí, por esses fornecerem subsídios materiais e recursos técnicos para entender melhor a proposta multidisciplinar sugerida para a pessoa com deficiência, de acordo com a Lei Brasileira de Inclusão, que também preconiza a importância dos demais profissionais da educação e das famílias dos alunos envolvidas no contexto acadêmico.

 

DISSERTAÇÃO Pdf ícone